DIETA DA MODA

DIETA DA MODA

NUTRIÇÃO_cuidado com as fórmulas milagrosas que prometem resultados rápidos.                       

TOPO MATERIAS_DIETAS

Dieta do Mediterrâneo, Nórdica, dos Sucos, da Lua, da Ravenna, do Shake, Detox, Alcalina… A lista é enorme, e envolve uma série de receitas milagrosas e rápidas que prometem deixar qualquer um com o “corpo perfeito”. Mas, da mesma forma que são atrativas, essas dietas da moda são também perigosas, e seus efeitos imediatos duram pouco tempo.

Muitas vezes, elas consistem em fórmulas milagrosas, desenvolvidas sem nenhum fundamento científico, e se baseiam num único macronutriente, o que as torna desequilibradas. Tudo isso acaba causando desde as frustrações nos resultados a curto e longo prazos até o comprometimento na saúde das pessoas.

Algumas dietas da moda até podem cumprir o que prometem. Só que o resultado vai embora tão rápido quanto chegou. A dieta da proteína, por exemplo: ela propõe priorizar o consumo de proteínas e a redução radical do consumo de carboidratos (massas, pães, doces, açúcares). De fato, isso favorece a perda de peso por aumentar a saciedade, mas a dieta pode apresentar um alto índice de gordura, o que favorece o desenvolvimento de doença cardiovascular. Além disso, ela causa deficiências de vitaminas e minerais pela proibição do consumo de frutas e vegetais, causando um desequilíbrio no metabolismo. O resultado, claro, está longe de ser benéfico, já que não há uma reeducação alimentar. E, sem a mudança de comportamento que a reeducação proporciona, fatalmente a pessoa recuperará o peso perdido, podendo, até, ganhar ainda mais peso.

Outra dieta perigosa e ineficaz é a “dos shakes”, que, além de não promover a reeducação alimentar, pois dificilmente a pessoa conseguirá manter a dieta a longo prazo, devido à carência da mastigação e hábitos culturais, o desequilíbrio de nutrientes pode representar prejuízos à saúde.

Ter sucesso e resultado numa dieta exige um planejamento feito por um profissional qualificado, que vai elaborar uma rotina alimentar. Nela, devem ser levados em conta fatores como a individualidade bioquímica, os hábitos alimentares, a composição química dos alimentos e sua ação no organismo, além do objetivo da dieta e do gasto energético, entre outros.

Não existe mágica: o segredo é o equilíbrio. Nosso corpo precisa ter acesso a todos os nutrientes, e consumi-los de acordo com a real necessidade. O que vai fazer a diferença no final são o foco e a determinação na hora de buscar o objetivo e seguir as recomendações.

*Publicado originalmente na Acrópolis Magazine 91

MÉDICA

 

 

 

 

 

 

*Nutricionista (CRN 5666) especialista em nutrição clínica, alta gastronomia e gestão de restaurantes com foco em gastronomia e hotelaria; professora do Curso de Nutrição, da Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba, e do Curso de Gastronomia, da Faculdade Internacional da Paraíba.