TEMOS UM BEBÊ EM  CASA. E AGORA?

TEMOS UM BEBÊ EM CASA. E AGORA?

BEBÊ_Será que papai e mamãe estão prontos para as mudanças que virão junto com ele?

 

22_DERMATOLOGIA_o_bebe_chegou_01PG

O quarto já está arrumado, as fraldas e várias roupinhas enchem o guarda-roupa, o carrinho de bebê já está “estacionado” na sala… Tudo pronto para receber o novo morador da casa. Mas será que papai e mamãe estão prontos para as mudanças que virão junto com ele?

Tem cheiro de novidade em casa – Já percebeu que todo bebê tem um cheirinho inconfundível e inesquecível? Vários estudos já foram realizados para descobrir o responsável por esse aroma delicioso, mas ainda há muitas hipóteses a serem esclarecidas. O que realmente sabemos é que esse cheirinho tem uma função muito importante. Os estudos comprovam uma atividade cerebral ativada pela dopamina, substância responsável pelas sensações de prazer, recompensa e bem-estar, que, por sua vez, asseguram a evolução da nossa espécie, já que concentramos toda a nossa atenção em torno do novo ser que passa a habitar a casa. Infelizmente, esse cheirinho só dura em torno de seis semanas, mas é o suficiente para eternizar em nosso coração esse momento mágico que é a chegada do bebê.

A pele dele é delicada, e os produtos utilizados devem ser o mais suaves possível, e sempre indicados para essa fase. A temperatura do banho deve ser sempre morninha, para evitar a perda de calor e trazer a sensação de conforto que ele tinha no útero. Durante os primeiros dias, a troca de fraldas deve ser frequente, independentemente da presença ou não de xixi/cocô, para evitar o atrito com a pele, e cremes de barreira devem ser utilizados. Cuidado com os lencinhos umedecidos, que não devem conter álcool em sua formulação. Prefira algodão com água morninha ou soro fisiológico.

Ih! acho que bateu uma fominha – Na barriga da mamãe, o bebê não tinha hora para comer, já que recebia todos os nutrientes pelo cordão umbilical. Mas, ao nascer, ele precisa obter seu alimento, e não adianta forçar uma rotina de amamentação. Se conseguir fazer com que ele se alimente de 3 em 3 horas, será maravilhoso, mas não se prenda à ditadura do relógio. O cérebro dele está a todo vapor, e vai dar dicas de quando a fominha está chegando, primeiro com movimentos sutis de virar a cabeça, mexer a boquinha, depois de maneira mais óbvia, com um chorinho que, logo, logo, papais e mamães já identificam e até sonham com ele. A amamentação exclusiva é indicada até os 6 meses de vida, e deve ser continuada até os 2 anos de idade. Mas, infelizmente, nem todas as mamães conseguem amamentar. Para resolver esse problema, várias fórmulas lácteas estão presentes no mercado, e devem ser prescritas pelo pediatra, que vai indicar a quantidade e o tipo de leite a serem ofertados.

E esse choro que não para? – A barriguinha do bebê nem sempre está totalmente preparada para receber alimento, e algumas crianças apresentam as temidas cólicas do recém-nascido, que podem surgir com a amamentação exclusiva no peito ou em uso de fórmulas lácteas, em geral entre o 15.º dia e os 3 meses. A imaturidade do sistema digestivo do bebê faz com que as paredes intestinais se contraiam e relaxem sem controle, e isso pode resultar em gases e levar à cólica.

Algumas maneiras de amenizar a dor provocada pela cólica incluem exercícios que estimulam a eliminação de gases (movimentar as perninhas do bebê como se ele estivesse pedalando numa bicicleta), abraçar o pequeno ao corpo com as perninhas encolhidas, apoiá-lo de barriga com o antebraço, fazer massagens circulares ou aplicar compressas quentes, ou mesmo dar um bom banho morno. É importante descobrir formas de confortá-lo e evitar que ele chore, pois, durante o choro, pode haver deglutição de ar, que pode piorar a sensação de gases e aumentar as cólicas.

Acho que está na hora de tirar uma sonequinha – Durante os primeiros dias, o bebê pode passar mais de 2/3 do dia dormindo. No entanto, apresentam sonos curtos, já que precisam acordar para se alimentar. Com o tempo, os intervalos de sono vão-se regularizando, e tentar fazê-lo distinguir o dia da noite pode ajudar muito para começar a dormir noites inteiras (não se preocupe, esse dia vai chegar!).
Todo o mundo vai querer contar como criou o seu filho, e é preciso paciência e instinto para saber distinguir o que vale a pena, ou não, ouvir e usar com o bebê. A verdade é que o tempo passa muito rápido; então, é importante aproveitar cada minuto dessa fase inicial, que pode ser assustadora, mas nos encanta e sempre deixa um gostinho de saudade.

*Publicado originalmente na Acrópolis Kids 16.


JALALA

Januária Queiroz | CRM 7365
Av. Dom Pedro II, 833 – Centro
drajanuaria@gmail.com